18 de julho de 2008

Nossos Projetos

Amor de Menino
Para Mauro
A tez pareceu brilhar à luz fraca
Os gritos e o sangue lhe incomodam
A mulher chora e ele chora junto
Pega-lhe mão e enxuga-lhe testa
Beija-lhe face e chora mais
E quando o grã-choro invade o lugar
O grã-choro de criança bem nascida
Ele é pai, mais que amigo, mais que irmão
Mas também é menino desgarrado ainda brincando de gudes no portão


Quando falares de amigo, respire. O tempo de uma respiração é o tempo mais que necessário para julgar as verdades.
E num ano de tantas aproximações e distanciamentos, conheci pessoas incrivelmente interessantes. E numa calma (por vezes receio) descobri que as construções são feitas com tijolos e cimento. É a sabedoria de perceber o tempo e segui-lo com cuidado e cautela. Construir uma intimidade, um respeito, paciência, carinho. Ser amigo é tarefa...é a prática da percepção.
E Pedro é uma pessoa assim... incrivelmente sensível, capaz de perceber as delicadezas... Um amigo bárbaro!